Não importa se você vai elogiar ou dar sugestões, mas não saia dessa Sala sem deixar seu comentário!

quinta-feira, 7 de março de 2013

Trilha sonora: Hebert Vianna - Victoria

Pessoal,

Apesar de admirar o trabalho de Hebert Vianna, ainda não conhecia esse álbum. Sei que estou um pouco atrasada, mas como diz o ditado "antes tarde do que nunca". As músicas ficaram maravilhosas! O post ficou um pouco extenso, pois encontrei a descrição de cada faixa na net e achei que seria legal compartilhar com vocês. Também devido ao tamanho decidi colocar apenas o vídeo de uma das músicas, mas sugiro que ouçam todas. 


O compositor reencontra suas canções

 

A ideia de Herbert Vianna lançar um disco solo reunindo suas composições que haviam sido gravadas somente por outros artistas surgiu por volta do ano 2000. Entretanto, o projeto seria deixado de lado em favor de um novo conjunto de canções gravadas com a participação de diversos músicos e produtores. Nascia “O Som do Sim”, o terceiro trabalho individual de Herbert. Porém, como o compositor acumulou um extenso material cedido à outras vozes, seria justo que, em algum momento, ele registrasse suas próprias interpretações dessas músicas. Em 2007, a ideia ressurgiu. Mas devido aos compromissos do cantor com Os Paralamas do Sucesso, as gravações só começaram três anos mais tarde. Herbert convidou o experiente Chico Neves para assumir a produção. Desde o início, o conceito era registrar as canções basicamente no esquema voz/ violão aproximando as músicas do momento da composição. Chico providenciou algumas intervenções sonoras como teclados, sintetizador, sitar e alguns efeitos. Além disso, sugeriu que Herbert adicionasse vocais de apoio e demais violões. Como esses companhamentos são sutis, o formato simples foi mantido. Sua voz está mais suave que nunca. O resultado é ótimo. Gravado no Estúdio 304, no Rio de Janeiro, o quarto álbum solo de Herbert Vianna foi batizado de “Victoria”. Este era o primeiro nome de Lucy, a saudosa esposa do músico e mãe de seus filhos. O repertório soma 20 músicas. Entre sucessos e canções pouco conhecidas, Herbert apresenta sua versão da história.

01 – Só Pra Te Mostrar
(Herbert Vianna)

Herbert Vianna compôs esta canção em 1992. Na época, Lucy estava grávida do primeiro filho do casal, Luca. A jornalista inglesa estava se sentindo insegura em relação à sua aparência devido ao estado avançado da gravidez. Sensível, Herbert respondeu com esta música cujo verso inicial sela o pacto de união e cumplicidade entre eles: “Não quero nada que não venha de nós dois”. No mesmo ano, Daniela Mercury gravou a faixa dividindo os vocais com Herbert. Em 1993, “Só Pra Te Mostrar” foi incluída na trilha sonora da novela Renascer e se tornou um grande sucesso. A nova versão do autor com violões, vocais de apoio e o simples, porém certeiro acompanhamento de Chico Neves, deixa exposta toda a beleza da letra e melodia. Uma das melhores composições de Herbert.



02 – Pense Bem
(Herbert Vianna)

Gravada em 1999 pela banda carioca de reggae Negril. Herbert não apenas apadrinhou e produziu o grupo em seu primeiro trabalho por uma grande gravadora como cedeu esta música para que eles a gravassem. A letra fala de um relacionamento que corre perigo de acabar pela desistência de uma das partes. Com um arranjo reggae, foi escolhida como o primeiro single do Negril. A versão gravada por Herbert revela como a canção era originalmente uma balada típica de sua obra.
03 – Junto Ao Mar
(Herbert Vianna)

Esta música foi feita especialmente para a banda Penélope, que era empresariada por Lucy Vianna. O grupo de Salvador gravou a canção em 2001 em seu segundo disco (“Buganvília”). Chegou a ser cogitada para fazer parte do álbum “Longo Caminho” dos Paralamas, mas foi deixada de lado. Herbert revisita esta sua delicada composição com um excelente dedilhado de violão e um acompanhamento vocal feito por ele próprio.

04 – Eu Não Sei Nada De Você
(Herbert Vianna)

Canção gravada anteriormente por Herbert Vianna em seu terceiro disco solo, “O Som do Sim” (2000). Na época, chamada apenas de “Eu Não Sei Nada”, contou com a participação da cantora gaúcha Luciana Pestana. (Nota: Herbert havia começado a produzir o segundo disco de Luciana quando sofreu o acidente). Agora, o compositor apresenta uma versão mais curta da música. Um sutil teclado ao fundo acompanha a faixa que sobe de tom na última estrofe.

05 – A Lua Que Eu Te Dei
(Herbert Vianna)

Embalada pelo sucesso de “Se Eu Não Te Amasse Tanto Assim”, Ivete Sangalo ganhou mais uma jóia de Herbert Vianna. “A Lua Que Eu Te Dei” é uma bela canção escrita para Lucy e gravada pela cantora baiana em 2000 com direito a um solo de guitarra feito por Herbert. A simplicidade da interpretação registrada em “Victoria” torna a música uma declaração ainda mais emocionante revelando uma bela sequência de acordes, enquanto um sintetizador minimoog completa o clima.

06 – Noites de Sol, Dias de Lua
(Herbert Vianna)

Com uma letra interessante e bem articulada, esta música integrou o repertório do primeiro disco da atriz e cantora Kátia B (esposa de João Barone), lançado em 2000. A nova versão de Herbert é um pouco mais acelerada que a gravação com orquestra feita anteriormente por Kátia. Novamente, a camada sonora preparada por Chico Neves aparece em alguns momentos sem comprometer o arranjo acústico.

07 – Mulher Sem Nome
(Herbert Vianna)

Uma das faixas mais obscuras de “Victoria”. Talvez a mais experimental. Foi cedida por Herbert ao músico mineiro Eduardo Toledo que a gravou em 1996 com participação do líder dos Paralamas na guitarra. É justo que composições que poderiam passar despercebidas até por fãs ganhem uma nova chance de notoriedade. A batida diferente do violão, os versos entrelaçados em rimas, o backing vocal “stoneano” e os efeitos sonoros colaboram para um resultado interessante.

08 – Pra Terminar
(Herbert Vianna)

Mais uma ótima balada com a marca de Herbert Vianna. Fala sobre o fim de um amor ainda não superado. O Biquíni Cavadão gravou primeiro em 2000. No ano seguinte, a cantora Ana Carolina também registrou sua interpretação da música. A versão gravada por Herbert é mais suave e é baseada em um violão dedilhado. No meio da faixa há uma breve intervenção com efeitos psicodélicos. Um conjunto sonoro semelhante surge na parte final durante uma bonita vocalização.

09 – Penso Em Você
(Herbert Vianna)

Música inédita. Composta quando Herbert ainda era adolescente e morava em Brasília. Na época, ele tinha aulas de violão com um professor chamado Alcione, que era especialista em bossa nova. Herbert não apenas aprendeu a tocar todos os clássicos desse estilo como tratou de escrever sua própria canção bossa-novista. Cursando a 8ª série, Herbert inscreveu “Penso em Você” em um festival da escola e conquistou o 3º lugar.

10 – Une Chanson Triste
(Herbert Vianna)

Herbert escreveu esta música quando soube da morte de Renato Russo. A canção (cujo título traduzido do francês significa “Uma Canção Triste”) é dedicada ao amigo e líder da Legião Urbana. Foi gravada primeiramente pela cantora Daúde em 1997. Três anos mais tarde, Herbert decidiu gravar a música em seu álbum “O Som do Sim”, dividindo os vocais com Daúde. A versão solo em “Victoria” é baseada em um dedilhado semelhante ao da faixa “Flores No Deserto”, do álbum “Longo Caminho” (2002), dos Paralamas. (Nota: Herbert foi uma das poucas pessoas a quem Renato Russo confessou ser portador do vírus HIV).

11 – Quando Você Não Está Aqui
(Herbert Vianna/ Paulo Sérgio Valle)

Esta canção foi composta em parceria com Paulo Sérgio Valle com a intenção de ser entregue a Roberto Carlos, mas acabou indo parar no disco “Maricotinha” de Maria Bethânia, lançado em 2001. É uma das músicas mais calmas de “Victoria”.

12 – Canção Pra Quando Você Voltar
(Herbert Vianna/ Leoni)


Na véspera do acidente com o ultraleve, em 2001, Herbert entregou esta melodia para Leoni adicionar a letra. A música deveria fazer parte do próximo disco dos Paralamas. Cerca de um mês depois, enquanto Herbert ainda estava internado, Leoni teve a ideia de criar uma letra falando simbolicamente de como as coisas eram cuidadas enquanto o amigo se recuperava no hospital. Imaginando o ponto de vista de Herbert, a letra diz “alguém pra olhar a casa e alguém que regue o meu jardim até quando eu chegar”. Foi gravada em 2003 no ao vivo “Áudio-Retrato”, de Leoni, com participação de Herbert. Foi um momento especial para os parceiros de longa data cantarem essa música juntos, e a nova versão de Herbert é emocionante ao lembrarmos que o personagem da música sobreviveu para cantar a canção.

13 – Vem Pra Mim
(Herbert Vianna)

Esta canção de Herbert foi gravada pelo RPM no álbum ao vivo “MTV RPM 2002”. Entrou no repertório com uma das músicas inéditas apresentadas pela banda. A versão de Herbert lançada agora tem uma introdução de guitarra com duração de meio minuto até entrar o violão e alguns efeitos. Diferentemente da gravação de Paulo Ricardo e companhia, Herbert optou por declamar parte da letra. O refrão simples com melodia suave garante mais um momento de leveza do compositor. 

14 – Nada Por Mim
(Herbert Vianna/ Paula Toller)

Uma das composições mais aclamadas de Herbert Vianna. Trata-se de uma parceria com Paula Toller, do Kid Abelha. O guitarrista tinha em sua mente o refrão pronto, mas não conseguia desenvolver o restante da música. Então, Paula o auxiliou e juntos criaram os demais versos. Foi gravada primeiramente por Marina Lima, em 1985. No ano seguinte, o Kid Abelha incluiu “Nada Por Mim” como a única faixa inédita de seu primeiro disco ao vivo. Nelson Gonçalves e Ney Matogrosso também gravaram a canção. Também houve uma inesquecível interpretação de Renato Russo acompanhado apenas por Herbert na guitarra durante o especial de TV “Legião Urbana e Paralamas”. Finalmente, chegou a vez de Herbert. Sua versão começa direto na letra acompanhada apenas por um arranjo vocal. O violão entra no refrão. A segunda estrofe sobe um tom e recebe o teclado de Chico Neves. A vocalização retorna no final completando a beleza da melodia.

15 – Se Eu Não Te Amasse Tanto Assim
(Herbert Vianna/ Paulo Sérgio Valle)

Escrita em homenagem a Lucy, esta canção (outra parceria com Paulo Sérgio Valle) foi gravada por Ivete Sangalo em 1999 por sugestão de Herbert, que achou que a cantora deveria emprestar sua voz a uma balada. Ele estava certo. A música se tornou um dos maiores sucessos da baiana tocando constantemente nas rádios e fez parte da trilha sonora da novela Uga-Uga (2000). Posteriormente, Herbert fez uma versão em inglês jamais gravada oficialmente, mas que ele mostra no documentário “Herbert De Perto” (2009). A versão (em português) contida em “Victoria” começa com a melodia sendo executada no violão. A interpretação de Herbert deixa transparecer todo o seu amor dedicado à Lucy.

16 – Um Amor, Um Lugar
(Herbert Vianna)

Esta música se tornou conhecida através da gravação de Fernanda Abreu, em 1997, com participação de Herbert nos vocais. Dois anos depois, os Paralamas incluíram a música em seu “Acústico MTV”. Agora, o compositor mostra sua versão pessoal do tema. O acompanhamento de Chico Neves é eficiente mais uma vez. A canção termina com um trecho do clássico “Norwegian Wood (This Bird Has Flown)”, dos Beatles.

17 – Só Sei Amar Assim
(Herbert Vianna)

A versão de Zizi Possi para “Meu Erro”, feita em 1989, deixou Herbert Vianna de boca aberta diante da nova perspectiva que a cantora deu à letra com sua interpretação. Em 1999, ela participou do “Acústico MTV” dos Paralamas cantando em um novo arranjo da canção. Em 2002, Herbert cedeu a inédita “Só Sei Amar Assim” à Zizi. Novamente, os versos do compositor foram interpretados com sucesso pela cantora. A versão solo de Herbert é um pouco mais rápida. Breves solos de violão compõem a faixa.

18 – Blues da Garantia
(Herbert Vianna)

Esta música foi gravada pelo tecladista blueseiro Ari Borges, em 2001, e deu título ao seu álbum de estreia. Um blues puro e característico com letra interessante escrita por Herbert (“...qualquer garantia de que em algum lugar no mundo alguém vive sem agonia”) e passagens marcantes do violão como o estilo pede. Trata-se da faixa mais curta de “Victoria” com menos de 1 minuto e meio de duração.

19 – Sinto Muito
(Herbert Vianna)

Esta é a versão original de “Todas As Coisas”, escrita por Herbert e gravada pela banda Nenhum De Nós em 1996, no disco “Mundo Diablo”. Na época, além da mudança de título, a letra sofreu algumas alterações feitas por Herbert e Thedy Correia, o líder do grupo gaúcho. Agora, o Paralama recupera a canção a partir do momento em que foi criada.

20 – Derretendo Satélites
(Herbert Vianna/ Paula Toller)

Mais uma parceria de Herbert Vianna e Paula Toller. A canção faz parte do primeiro álbum solo da cantora, lançado em 1998. Foi também seu primeiro single individual. Herbert usa um sutil efeito na voz em sua interpretação da música. Um breve, porém virtuoso solo de violão encerra a faixa. E, assim, encerra-se o disco “Victoria”.

Curiosidade 1: Chico Neves produziu o álbum “Hey Na Na” (1998), dos Paralamas, e a faixa “Um Truque”, do disco “O Som do Sim” (2000) de Herbert Vianna. Outra colaboração do produtor com a banda foi na programação de sequencer em “Tribunal de Bar”, faixa de “Os Grãos” (1991).

Curiosidade 2: A capa de “Victoria” é assinada pelo artista plástico Barrão. Ele também é o responsável pela arte gráfica dos dois primeiros discos solo de Herbert Vianna, “Ê Batumaré” (1992) e “Santorini Blues” (1997). Além destes, o artista também criou a capa de “Hey Na Na” (1998), dos Paralamas do Sucesso.

Fonte: Adailton Lacerda - Blog Faixa a Faixa

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Postar um comentário